Programa Impacto Music com Fernando do Vale

Ao Vivo de segunda à sexta das 22h às 00h na Rádio Power Strike - A Inovação da Música!

domingo, 19 de junho de 2011

Como as serpentes suportam tanto tempo sem alimento?

As serpentes são animais que, em geral, se alimentam com uma frequência baixa. Em ambientes onde pode existir pouca disponibilidade de alimentos, como desertos, savanas africanas e mesmo a Caatinga do Brasil, não é incomum que elas enfrentem longos períodos sem se alimentar. Exemplos de espécies de serpentes que passam até 6 meses sem alimento não são raros e algumas delas podem ocasionalmente sobreviver até dois anos sem uma única refeição! Como podem suportar tanto tempo sem comer?


Todos os animais tem mecanismos para resistir a algum período de privação de alimento, mas as serpentes conseguiram levar a resistência a fome a um outro patamar. Grande parte das serpentes apresenta, naturalmente, uma das taxas metabólicas mais baixas entre os vertebrados, o que já explicaria a capacidade de armazenar energia e se manter ativa mesmo consumindo pouquíssimo alimento durante um longo período (um único rato pode alimentar uma cobra de 1,5 m por semanas).

Mas não é só isso! Muitas serpentes são capazes de sobreviver vários meses sem alimento, pois, quando a comida acaba, elas tem capacidade de diminuir ainda mais seu metabolismo. Algumas espécies de cascavel do deserto americano reduzem seu metabolismo (que já é baixo) em até 80 por cento! E não para por aí! As serpentes possuem estruturas especializadas em reservar gordura. Esta energia acumulada na forma de lipídios é utilizada durante os períodos de privação de alimentos. Mesmo após digerir toda a reserva de gordura estes animais podem começar a utilizar de suas proteínas como fonte de energia.

O mais incrível é que mesmo sem se alimentar por um longo período as serpentes continuam crescendo! Os cientistas procuram uma explicação para este fenômeno, acredita-se que isso possa ter relação com alguma pressão evolucionária que favoreça as serpentes mais longas.

Por diminuírem dramaticamente um metabolismo que já é baixo por natureza, por se “alimentarem” delas próprias de dentro para fora e por ainda assim continuarem crescendo, as serpentes definitivamente podem ser consideradas o extremo da tolerância a fome no reino animal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário